TRADUÇÃO

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

....... Para você.........

Levou, eu realmente nao sei se as coisas acontecem por acaso, mas também não sei se o acaso que faz as coisas, porém de alguma forma te conheci, e sem perguntar ao menos o meu nome já foi sendo uma parte de mim......ela é assim.......... tem um jeito bem louco de viver, que me faz sorrir, fala da vida como uma vida, e não como uma vida de reclamar da vida, e que me faz ainda mais querer conhecê-la para viver a sua vida. Um dia o acaso me trouxe você, e o mesmo acaso me levou para mais longe ainda ^^... mas como disse la em cima, você já se tornou uma parte... alguns dizem que o ato de ir leva as coisas, mas com você tudo é diferente, você deixou mais em mim do que levou, você consegue me ameaçar de me bater e mesmo assim depois dizer que isso é puro amor( asiuashiasuhasiu). Horas, dias e anos, espero que nenhuma dessas forma de tempo deixe a gente se perder por ai, na verdade eu sei que a gente não vai... é como você disse “você não teve tempo de me evitar e nem de me testar ^^”... e um dia nos sentaremos para falar sobre as nossas vidas, dos acasos, e ai sim poderei te dizer , muito obrigado por estar aqui.....xeirinhooo

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

ta na hora.......

Que horas São?....... 2:33 da madrugada.... Putz isso não é muito normal eu acordar a essa hora da madrugada.. mas é que algo me chama nos meus pensamentos que as vezes me fazem sentir como uma pessoa em uma canoa no meio do oceano, em que sou jogado de um lado pelo outro de pensamentos para memórias que insistem em pegar uma leve brisa para o futuro.
Mas como disse, nada disso é muito normal, normalmente costumava dormir esse horário, e esses pensamentos não costumavam tirar o meu sono, talvez porque as vezes estava ocupado demais vivendo a vida ou ocupado demais vivendo o que amava viver, não to querendo dizer que o que vivo hoje não amo.... só que sinto falta de alguns xeirinhos e algumas conversas.
Xeirinhos e conversa que pretendia permanecer por mais tempo . Algumas despedidas não pude evitar, faltas que fizeram ficar muita coisa aqui......... mas outras faltas eu mesmo quem dei vida, estava ficando escuro demais para ver........
Mas hoje tenho de novo aquela sensação no peito.................... que o mundo é grande e malvado, cheio de reviravoltas, e as pessoas tem um jeito de piscar, piscar e perder o momento que podia ter mudado tudo .... mas agora sim quero mais que nunca continuar nessa conversa....... xeirinhoo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Te Amar....

Proximos posts dedicados a uma espécie de ..... como falar.... cartas.. isso cartas... talvez esquecidas, mas algumas registradas..... não escritas por mim... mas que estão guardadas para sempre na minha memória...
Te amar é tão bom para mim, meu bem.. Te ouvir,é o meu prazer, te sentir faz meu coração bater mais forte, Te amar me faz tão bem, me sinto segura, forte, meu ser se torna completo até apreço uma boba rindo a toa e lembrando de você.
Seu amor me tranqüiliza, me anima e me acalma, retira de mim complexos de um passado ruim. Seu amor é terapia e agasalho nas noites frias da solidão, na nossa distância, com você me sinto uma pessoa melhor, mais feliz. Você é o incompleto que havia em mim.
Hoje sou feliz pois seu amor me satisfaz, tão lindo e perfeito que só quem ama é capaz de sentir e viver.... Te Amo B......

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Tão Longe....

Proximos posts dedicados a uma espécie de ..... como falar.... cartas.. isso cartas... talvez esquecidas, mas algumas registradas..... não escritas por mim... mas que estão guardadas para sempre na minha memória...

Como dói esta distância, parece não ter mais fim, como é triste essa saudade de ter você longe de mim. Este amor não me engana parece até cicatriz saliente de vez enquanto arranha e inflama, me deixando assim.... Como eu queria saber se sentes falta de mim, se lembras um pouquinho de quem te gosta tanto assim, Eu Te Amo tanto.... tanto que não estou mais suportando essa distância que insiste entre nós .... mas sinto algo que a distância e a saudade não consegue superar... que o que sinto por você!... É a esperança que tenho de um dia ficarmos juntos e para todo o sempre.... Te Amo Balta....

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Da Amiga do Furão....

A gente passa anos ao lado de pessoas que não somam em nada nas nossas vidas, não nos levam pra frente, não fazem a diferença, não estão ali quando mais precisamos, não sabem nos dar conselhos e mesmo depois de anos nem sabem realmente quem somos.

Aí um dia você conhece uma pessoa que, a seu ver, ia ser igual às outras, apenas mais um conhecido, um contato no MSN, um amigo no facebook, mas na primeira conversa você sente que estava enganada, que aquela pessoa que não significava nada pra você, agora faz parte da sua vida, de um modo que você nem poderia imaginar.

De repente essa pessoa não é mais só aquele contato legal, que te faz rir às vezes, de repente aquela pessoa já é essencial na sua vida, não é só mais um colega ou conhecido, virou amigo, isso mesmo, amigo. Parece um termo forte porque amizade verdadeira mesmo, as pessoas acham que se demora a construir, mas não, pelo menos comigo não.

Eu já tive tantas pessoas na minha vida, tantas pessoas querendo entrar nela e que eu nem deixei, às vezes porque tinha medo de perdê-las e sofrer depois, e às vezes porque eu achava que não eram boas demais pra mim. Não sou de muitos amigos, não costumo confiar nas pessoas, mas com ele foi diferente, ele não precisou me provar nada, não tive tempo de testá-lo, não tive tempo de evitá-lo, quando eu dei por mim lá estava eu considerando tanto aquele menino.

Eu que sempre tive medo de perder pessoas fui fazer uma amizade tão bonita com um cara que já está indo embora e vai me deixar aqui sozinha no MSN. (mas eu ainda bato nele por isso.) kkk’

É menino, você não sabe, mas já é importante demais na minha vida pra que eu te deixe ir sem que você saiba disso, você em pouco tempo fez muita diferença. Obrigada pelos conselhos, risadas, bobeiras, por me agüentar nas depres e nas piadinhas sem graça, por me chamar de agressiva e entender minhas loucuras.

Você vai, mas quero que saiba que você deixa aqui uma amiga, que gosta muito de você e torce pra sua felicidade, de coração mesmo, obrigada por tudo, eu vou estar esperando você voltar pra ser meu padrinho de casamento, isso se eu casar um dia né, ou então pra gente encher a cara, já esta ótimo. kkk’

Baaaaaaaaaaaalta, seu furão, adoro você. ♥ by... Luh Dias

Quero te Sentir..

Proximos posts dedicados a uma espécie de ..... como falar.... cartas.. isso cartas... talvez esquecidas, mas algumas registradas..... não escritas por mim... mas que estão guardadas para sempre na minha memória...

Hoje eu gostaria de te falar coisa bonitos.Falar sobre o amor, vida, a beleza de te amar e o quanto és importante para mim.Mas as palavras são escassas, são mesquinhas, diante da grandeza do teu olhar que me diz mil coisas, sem falar uma única palavra. Sendo assim eu prefiro te tocar te sentir porque teus gestos são carregados de emoção, e ai não é preciso falar mais nada não é?


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Mais uma conversa...

O dia se vai enquanto continuo dormindo, as vezes me incomoda pensar sobre, mas então deixo que se vá, dessa forma começo acostumar com o desapego.
Não é porque um navio está afundando que eu tenho que me agarra ao mastro e naufragar junto, posso me jogar no mar e sair nadando.
É bom aproveitar aquilo que se gosta ao máximo, mas sabendo que se a vida é breve demais, imagine os seus componentes.
Então na madrugada surge uma nova conversa ao celular, do jogo de futebol ao sentido da vida.
O amor deixado pra trás, o que vêm pela frente, o atacante que preste faltando na seleção brasileira... Em fim um conclusão estúpida, orgulho, carência, atenção, em resumo alguns dos componentes do super-ego das mulheres em questão.
Quando decidimos olhar para o real problema percebemos que na verdade está tudo em nossas cabeças, esse trágico conto-de-fadas que ironicamente nos fizemos acreditar.
De repente um conselho em forma de afirmação de uma terceira pessoa, pertencente ao gênero em discurção: "Quem acredita em mulher, acredita em papai noel também".
E percebemos que acabamos por nos tornar inimígos de quem mais queríamos como aliádos. O problema é quando o seu inimigo já foi seu maior aliado, sabendo assim todos seus pontos fortes e principalmentes suas fraquezas, daí um grande perigo com apenas duas letras: Ex.
Ex namoradas, quando não realmente ex, e o pior furiozas, são algo preocupante demais.
Mas Balta e eu concordamos com o velho sábio
Machado de Assis que já dizia:
"[...]Pois, senhor, não consegui recompor nem o que foi, nem o que fui. [...]Se só me faltassem os outros,vá, um homem consola-se mais ou menos da pessoas que perde; mas falto eu mesmo, e esta lacuna é tudo".
A nossa cura ou nosso veneno está em nossas cabeças, concluímos, agora é mais uma noite acordado para uma manhã mal dormida, e que venha o dia seguinte.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Ainda não significa...

texto enviado por uma leitora, e como ela propria disse, que ainda n somos muita coisa, mas o sentimento ja se tornou grande.... xeirinho Tamires...

"Queria poder escrever um texto bem extensso pra você, mas não posso,
nao haveriam palavras , porque você ainda não significa nada pra mim,mais entendeu bem?,eu disse "ainda". Sua voz é parecida como a de um anjo,suave, e bem encantadora, mas como eu posso saber se jamais avistei um? não faço ideia, só lembro que pensei nisto, no momento em que te
ouvi cantar.
Tomara que eu não esteja parecendo uma boba, ao ponto de você achar que estou querendo algo mais, mas não é nada disso, Já ouviu falar em sentimento? não é de amor, muito menos de saudade, é de um sentimento chamado afeto, que apesar de ser tão simples e pequeno, é tão confortante, e que pode nos mostrar que as coisas podem ser bem melhores do que já são."

Tamires Aragão

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Carta Extraviada 1.....

Não sei por onde começar esta carta que já nasce atrasada, pensamos sempre que temos muito a dizer mas as palavras são pouco amistosas, onde encontrá-las agora, às três e dez de uma madrugada em que me encontro insone e pensando mais uma vez em você?
Você esperou por estas palavras por muitos meses, na esperança de que elas aliviariam a dor do seu coração, mas elas não vieram porque estavam ocupadas vigiando meus impulsos, me impedindo de me abrir, e minha própria dor lhe pareceu desatenção, eu que não durmo de tanta paixão congestionada, de tanto desejo represado, de tão só que estou.

Meus motivos sempre lhe pareceram egoístas, e se eu lhe disser que o descaso aparente foi na verdade uma atitude consciente para preservar você, me chamarás de altruísta e não sairemos do mesmo lugar.

Eu errei por não permitir que você me oferecesse seu afeto, eu errei ao sobrevalorizar um risco imaginário, eu errei por achar que existem amores menores e maiores, avaliados pelo tempo investido, pela contagem dos beijos, pelas ausências sentidas, por tudo isto fui conduzido a um erro de cálculo.

Não te peço nada além de compreensão, e esta carta nem era para pedir, mas para doar, eu que sempre me achei bom nessas coisas, o voluntário da paz, o boa-gente oficial da minha turma.

Mas peço: lembre de mim como alguém que alcançou a mesma medida do seu sentimento, a mesma profundidade das suas dúvidas, o mesmo embaraço diante da novidade, o mesmo cansaço da luta, a mesma saudade.
A carta vem tarde e redigida com palavras covardes, as corajosas repousam pois se imaginam já ditas e escritas, valentes foram as palavras do início, as desbravadoras, as que ultrapassaram limites, quando nós dois ainda não sabíamos do que elas eram capazes, palavras audazes, febris.

Pela enormidade de tempo que temos pela frente em que não nos veremos mais, não nos tocaremos ou ouviremos a voz um do outro, pela quantidade de dias em que conduzirás tu vida longe de mim e eu de ti, pela imensidão da nos descrença, pela perseverança da nossa solidão, pelos nãos todos que te falei, pelo pouco que houve de sim, acredita: te amei além do possível, não te amei menos que a mim.



Martha Medeiros

sábado, 13 de agosto de 2011

DE ONDE VEM O MAL?.....


A pergunta instigante é a capa da Revista Galileu, nº240, cuja leitura vale a pena pelo cuidado com que o tema foi tratado.
Ocorre-me, entretanto, aproveitar a oportunidade para ampliar alguns aspectos desse debate, acerca da visão de mundo da ciência.
A proposta que motiva a pergunta acima diz respeito aos resultados de pesquisas que tem indicado que determinadas deformidades em áreas do cérebro (o córtex pré-frontal medial, por exemplo) responsáveis pela empatia, ou seja, a capacidade de projetar um evento de outrem como se fora seu, estão associadas à maldade, entendida aqui como os crimes violentos. A identificação física da área afetada, bem como a compreensão das operações neurofisiológicas presentes na reação empática, tem levado às sugestões de terapias medicamentosas capazes de corrigir o problema, liderando as novas drogas a oxitocina.
A identificação de problemas cerebrais associadas à violência novamente propõe alguns temas já recorrentes no final do século XIX e século XX: que a intervenção médica pode ser o caminho mais adequado para o tratamento da criminalidade, ou pelo menos, de determinada intercorrência de criminalidade; que o criminoso pode não ser responsável pelo crime, dado que não se trata propriamente de vontade, mas de uma incapacidade ou doença e; é possível desenvolver uma política de prevenção da criminalidade a partir de critérios médicos.
Isso que parece ser uma projeção de ficção científica já acontece, entretanto. Um exemplo é o desenvolvido pelo Programa Para Pessoas com Severos Transtornos de Personalidade, o DSPD, do governo britânico no qual, dentre outras coisas, 12 unidades monitoram crianças com distúrbios de conduta com a finalidade de prevenir psicopatias. Investiga-se também nestas crianças o a presença de genes específicos ligados à “maldade”. O psicólogo Simon Baron-Cohen, de Cambridge, é um dos líderes desse nova versão da tendência “patologizante” do mal e sugere –ele que é judeu- que o mal funcionamento cerebral que dificulte a empatia pode estar por trás dos eventos que transformaram pessoas comuns em torturadores na segunda guerra mundial.
Bem, feito o resumo da tese, gostaria de levantar uma ou outra consideração.
É notável a tendência atual de transformar a psicologia e sua metodologia em um a extensão da biologia. De subverter sua metodologia pela dosimetria farmacológica e questionar epistemologicamente o binômio consciente e inconsciente. Essa é, propriamente, a maior novidade nessa abordagem atual da “patologização” do crime e da “maldade”, porque a associação do crime a características fisiológicas ou morfológicas não é absolutamente nova, mas remonta, pelos menos, aos trabalhos de Beccaria, com enorme repercussão no mundo, e Raimundo Nina Rodrigues no Brasil. É de nefasta lembrança a lobotomia como forma preconizada de tratamento para criminosos violentos e, mais simpática e picaresca, a moda da frenologia no final do sec.XIX e primeiro quartel do sec. XX.
Não desejo negar os avanços que possam significar as descobertas diuturnas da neurofisiologia, mas preciso deixar claras as minhas infinitas reservas às repercussões que se tem procurado dar a elas, sempre em um sentido inaceitável de reducionismo e alienação do homem.
Em primeiro lugar, a associação da “maldade” à violência e a agressividade é um reducionismo inadmissível, em grau exponencial quando a relação é estendida à criminalidade. Isso porque: a) A maldade é a ausência do bem e está presente tanto na mutilação que alguém inflinge a outrem, quanto na omissão em denunciar uma fraude; b) A assunção da violência como uma manifestação patológica influenciada por uma deformidade neurofisiológica ou neuromorfológica não explica as manifestações coletivas de violência, nem o holocausto, nem as rebeliões que acontecem desde sábado passado (06.08.2011) em escalada em Londres; c) Há, inevitavelmente, uma desumanização na consideração da “maldade” nessa “patologização”, bem como o fortalecimento da lógica contemporânea que exclui a responsabilidade pela explicação exterior. Trata-se do “encapsulamento” do bem, o qual pode ser fabricado, exposto e comercializado nas farmácias, na mesmíssima linha da felicidade sintética da fluoxetina, ou do prazer com o Viagra ou o Cialis... Isso me parece mais grave ainda se entendermos que a “desumanização” implica não apenas na alienação de si mesmo, mas na “desumanização” do outro, em um tipo de discurso, agora, qualificado de indiferença. Paradoxalmente, se considerarmos que a questão inicial trata sobre empatia!
Em segundo lugar, e isso vem bem demonstrado pela revista, se um número significativo de pessoas com transtorno borderline, que acentua a agressividade, possui deficiências associadas a determinadas áreas do cérebro, também é verdadeiro que de 60% a 80% delas têm histórico de maus tratos, dentre os quais de 40% a 70% do mesmo grupo foram vítimas de abuso sexual na infância.
A tese “patológica” desassocia perigosamente a violência da própria violência, da cultura do mal e da agressão, do controle sobre si, da auto-consciência e do auto-exame. Robert Darton em um belo livro chamado “O beijo de Lammourette” diz-nos que uma das características da época moderna é, a despeito da nossa convivência com o crime, a cena pública ter-se limpado da violência extrema. Não andamos mais nas praças sobre o sangue dos executados ou não vemos pelas ruas suas cabeças expostas como exemplo. Entretanto, digo eu, cercamo-nos por todos os lados na nossa cultura dessas imagens na busca de satisfazer tais sensações provocadas pelo embate violento, pelas execuções e guerras. É essa a mídia bilionária dos filmes, dos jogos e dos jornais populares. Desejamos coletivamente trazer tudo isso de volta e com tais cenas reinventamos nossos heróis, sempre armados, indiferentes e distantes, implacáveis e inabaláveis. Qual a distância entre os heróis dos “Bastardos Inglórios” e os psicopatas, de levada em conta a indiferença à dor e à mutilação do outro? No atual cinema temos que acentuar a diferença entre o horror e o terror. Aquele estava mais para as histórias de Allan Poe adaptadas ou para as célebres adaptações do inesquecível conto “O caso da mão do macaco”, ou ainda o notável seriado “twingligth zone”. O terror é quando não há motivo, quando a desrazão e a crueza imperam. Não se trata do susto, mas da desesperança. Não o suspense, mas a imagem e o inegável. É a glória dos zumbis, por exemplo...
Não quero defender a tese pueril de que o cinema, os tablóides populares e os jogos transformam, por si, nossos filhos em criminosos sem coração. Contudo, afastando-me completamente da tese “patologizante” e assumindo uma idéia de Sto. Agostinho, quando se perguntava sobre aquilo que nos liga ao pecado ou mal original, diria que se trata dos hábitos. A infindável cadeia dos hábitos na qual reproduzimos nosso agir cotidiano, a maior parte de nossas decisões e reações e pelas quais costumamos orientar nossas expectativas e sentimentos, aí temos o mal.
É pelo hábito que uma comunidade vê o diferente como “estranho e hostil”. O estrangeiro é aquele e aquilo diferente do que vemos todos os dias, daquilo a que nos acostumamos. A xenofobia e a violência em diferentes matizes que ele gera não se pode explicar pela deficiência morfológica do córtex pré-frontal médio...Nem a discriminação de negros no mercado de trabalho ou a mutilação do clitóris em certos países africanos. Trata-se da cadeia dos hábitos que nos torna indiferentes ao bem, que nos permite deixar de considerar o outro simplesmente porque não o vemos enquanto tal. Os mendigos de rua não seriam vistos como humanos, nem os antigos escravos, nem os homossexuais ou os estrangeiros...
Quando nos cercamos, portanto, das imagens da violência, seja do sangue, seja da indiferença ao outro, ao pobre, ao excluído, ao estrangeiro, etc., não consideramos a própria exclusão uma violência, mas algo do dia-a-dia, ou mesmo um dever de auto-defesa ou de segurança do país ou da comunidade. A história humana está repleta de exemplos que demonstram o quanto tais discursos prosperam rapidamente. Um vídeo ou um jogo, isoladamente, não é capaz de transformar ou incitar alguém. Mas uma cultura de indiferença e de exacerbamento do individualismo, sim. Dos pequenos aos grandes gestos e atitudes. Das pequenas concessões de irresponsabilidade em relação ao outro nos relacionamentos afetivos, das pequenas concessões éticas, da inércia e das omissões nascem hábitos poderosos de indiferença.
Por todos os lados, a violência e a indiferença parecem ser respostas mais adequadas ou, pelo menos, comuns aos desafios da sobrevivência, das carreiras e do mercado. Isso nas comunidades pobres de Totenham, em Londres, ou em Wall Street. Nossos afetos tem-se configurado pelas mesmas atitudes acima descritas, transcritas das ruas para as casas. O desejo afigura-se como a exaltação e afirmação plena de si em detrimento do outro ou com sua instrumentalização e reificação, portanto. E são essas as imagens que desenham nosso horizonte dominante, formam nossas expectativas e desejos?
Não responderei a pergunta, a qual, por si só, já me demonstra quão reducionista pode ser um perspectiva “patologizante” e a reversão biológica das dimensões da mente e da alma em um discurso dosimétrico. O mal é muito mais complexo do que operações neurofisiológicas podem individualizar, porque a vida não pode ser medida por meio de tais operações.
Talvez, o verdadeiro mal com o qual estejamos lidando nesse artigo seja a própria redução do homem a uma fórmula...

Sumi.....

"Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo
quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando
melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro
antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de
lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é
covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque
sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência,
pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu
lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua
desajeitada e irrefletida permanência."

Martha Medeiros

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Controle de Informações... (informe-se....)

Algo paira na mídia, anseio do íntimo coletivo, o que em forma de feedback vai se impondo como consciência coletiva. Uma espécie de onda magnética, qual buraco negro vai sugando as consciências e os valores atrás de uma possível e imaginária felicidade.
Há uma elite pensante, e outra reacionária. A pensante elabora, interpreta, julga o que jaz no possível sensum comum, a reacionária, como diz a palavra reage positiva ou contrariamente conforme seus interesses de mercado e domínio político.
É intrigante o que vem acontecendo ultimamente, Restart ganhando prêmio de melhor banda, o vocalista do parangolé ganhando o prêmio de melhor vocalista. Será realmente que eles são os melhores? Ou será que está havendo um controle? ou só é impressão minha? Vamos dar uma lida nessa letra de profunda reflexão :
“Bota a mão na cabeça que vai começar ....
O Rebolation, tion.
O Rebolation.
O Rebolation, tion, Rebolation.
O Rebolation, tion. O Rebolation.
O Rebolation, tion, Rebolation.
Rebolation é bom! Bom!
Rebolation é bom! Bom! Bom!
Rebolation é bom! Bom!
Se você fizer fica melhor.”
Pow isso daí parece palhaçada, sinceramente acho que a pessoa que fica escutando isso deve ter derretido a parte cinzenta,...parece que há um embrutecimento do belo na caricatura do irreverente...uma secura estonteante do riso e do verdadeiro humor caindo-se no esdrúxulo engraçado ou cômico.
Em pleno século da informação, a disseminação das informações ainda soa como controle social. Uma mescla de controle e poder empresarial, fazendo de forma um tanto sutil o controle realizado através das informações. Deixando você cada vez mais burro, sem pensamento, e simplesmente reagindo pelo que já foi introduzido na sua mente.
Como esquecer da manipulação feita pela emissora, que fez um debate a 3 dias das eleições entre Collor e Lula, que de forma sem ter escrúpulos manipulou resultados de pesquisa popular, e fez um resumo de um debate que era tendencioso. Tanto que por haver protestado publicamente pelo “resumo”feito pela emissora Pinheiro foi demitido, e também Nogueira que era chefe do departamento de jornalismo da emissora foi aposentado.
“democracia pressupõe a liberdade de expressão, comunicação....se você tem um meio de comunicação que por dia ele fala com 70 milhões de pessoas e controle das mensagens e feito apenas por uma equipe e ordenada ideologicamente por um senhor, eu penso que está ai descaracterizada qualquer possibilidade de democracia..”
Como já mencionei em um texto anterior ( Indolência Social) não vamos nos tornar uma massa de manipulação “Perder a indolência talvez seja um dos principais pontos, para uma maior efetividade dos direitos de cidadania, com um novo cenário de justiça política-social.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

I got Dosed by you...


Foi no começo desse ano. Na segunda semana de março, se me lembro bem, numa quinta-feira. Eu havia acordado cedo naquele dia e, muito a contragosto, fui pra aquela aula de Física 1 que eu fazia de ouvinte com os meus bixos daquele ano (só e somente só por causa da prova da USP que tive que fazer no meio desse ano, que fique claro, não sou tão asno assim). Cheguei atrasado apenas pra descobrir que o professor se atrasara de novo, uma rotina pra nós que fazemos Física. Vi meus bixos reunidos ali, conversando alto e jogando baralho, tinham acabado de passar no vestibular e tinham aquela inocência que o curso vai tirar mais cedo ou mais tarde, e você vai se tornar aquela pessoa mais pensativa com aquela preocupação constante, com os problemas, com as notas, com as dp's colecionadas, com o laboratório e com o orientador carrasco. Mas não é isso que é o importante da nossa história.

Olhei pra eles, mas aquele não era um momento em que eu gostaria de socializar. Mal sabia que não demoraria 1 mês pra encontrar verdadeiros amigos no meio daqueles bixos, mas isso é coisa pra histórias futuras. O que realmente importa e fez toda a diferença do mundo foi eu estar lá, sentado sozinho no banco, acendendo um cigarro. Sim, eu voltara a fumar mais cedo naquela semana, devido a, dentre outras coisas, o difícil relacionamento com a garota de olhos azuis, esse era um dos príncipais motivos pra eu estar lá, sem querer socializar, só ficar sózinho, e mais uma vez isso fez toda a diferença do mundo. Pois lá estava ela. Vindo sozinha, com seus cabelos bem claros esvoaçando naquele vento da manhã. Bela, como esta mesma manhã.

Confesso que a vi e pensei "Ahhh, bem que podia ser da Física, mas que doce ilusão, uma garota assim". Ela entrou no bloco de aulas e voltou, estava claramente perdida e acredito que ficou intimidada de chegar na amontoado de bixos da Física, então veio a mim. É, eu claramente não pareço da Física, não pareço tão nerd quanto a maioria do curso, nem tão jogado como a minoria, sou um meio-termo, a pessoa mais alternativa de todas. Quem sabe foi por isso que ela veio, já que as outras pessoas isoladas não pareciam ser o tipo que atraía ela. E isso foi outra coisa que fez toda a diferença do mundo. Ela chegou e perguntou se eu era da Física e o que acontecera com a aula. Eu nunca fui o veterano que mais orientou os bixos, ou ajudou de alguma forma, mas ali estava uma linda caloura perdida, mesmo estando triste e estressado, confesso que o meu lado de homem falou mais forte e estava alí totalmente solícito pra ela.

E foi uma ótima conversa que durou os 15 minutos que o professor demorou para chegar. Então cada um foi para o seu lado. Não foi ali que ela me conquistou, mas foi ali que eu soube que existia aquela garota, interessante e estranha, com um gosto diferente para coisas e um jeito inusitado de se vestir, bonita demais pra parecer ser da Física. Parecia uma príncesa de um reino totalmente estranho, uma príncesa nerd e peculiar que costumava usar uma camiseta escrita "Eu Amo Física".

O tempo foi passando, fui fazendo amizade com os bixos daquele ano, pra compensar as rixas com os bixos do ano anterior, e ela continuava lá. E foi num dia de festa, no começo de Junho, os dois com certeza mais soltos por efeito do álcool (todos ali, aliás), naquele momento em que todos os outros estavam distraídos com a aposta de cascata de cerveja que meu amigo fazia, estávamos sós, conversando sobre várias coisas até chegar rapidamente em assuntos mais íntimos, catalizados pelo álcool.

Ela, toda cheia de bom humor. Eu, pronto pra não deixar passar aquela chance.

-Que feio! O veterano dando em cima da bixete, pode isso?!
-Eu dando em cima? Não, e ainda sou seu veterano, vai buscar minha cerveja, bixete!
-Tá, Sr. Veterano, e o que eu ganho?
-Você já ganhou, olha só...

Mesmo motivado pelo álcool, foi totalmente recíproco, buscado da mesma forma por ambas as partes. Não foi só aquele relacionamento pra somar que eu tive fazia pouco tempo. Foi mais. Foi eu e ela. Só eu e ela.

E acordei no outro dia pensando que aquela noite era boa demais pra acabar, mas acabou. Felizmente o nosso amigo tédio nos fez ir juntos ao cinema 2 dias depois, pra acontecer de novo, e continuou acontecendo, e está até hoje.

Mesmo que eu tenha mantido em segredo de quase todos os meus amigos durante um tempo, por não querer que eles pensem que aquele símbolo que eu pregava de ser solteiro se tornara hipocrisia, pois não foi. Foi vício. Vício por ela. Sim, eu ainda sou meio fraco pra vícios.

Vícios são ótimos no começo, e eu caí forte nesse, sem saber até quando vai ser bom, mas querendo descobrir. Por que? Porque ela é meu melhor vício. Minha heroína. Minha príncesa nerd alternativa de um reino distante. Minha garota.

In you a star is borning. You cut a perfect forming. Someone forever warm.

by. Sarquis

terça-feira, 12 de julho de 2011

Dias...

Ser um Dias não é somente um sobre-nome, e se expressa além de uma família.
Ser um Dias é sobre tudo um estado de espírito, um orgasmo, não um
daqueles que você coloca tudo pra fora e quase desmaia de cansado,
mas um orgasmo em que você olha pra dentro de sí mesmo e encontra
aquela certeza de motivação além dos limites, uma iberação total de endorfina.
Abraçamos a vida, nos renovamos e inovamos para sempre sermos
essa metamorfose ambulante, mas fiéis à aquilo que aprendemos.
Amamos a nós mesmos, mas não somos egocêntricos, amamos os outros
da mesma forma, se assim eles permitirem.
Sempre lutamos por nossas conquistas, com fé em Deus, mas não sendo
egoístas ou com preguiça esperando que ele resolva tudo.
Observamos o mundo com olhar crítico da realidade, ao mesmo tempo
fazemos dele o nosso parque de diversões.
Algumas vezes nos achando, outras vezes nos perdendo, sempre vivendo,
pois percebemos que esta é a melhor maneira de agradecer pela vida que
nos foi concedida.
Religiosos não por viver na igreja e sim praticando o bem, sem regras baseadas
em preconceitos tolos de humanos com pensamentos limitados, nem procurando
distorcer palavras sagradas em benefício próprio.
Caminhamos com nossas pernas e elas nos levam a onde queremos estar.
Não vamos de contra ao mundo, separar as coisas não leva a nada
quando se busca a união.
Nos entregamos não por ceder, mas para revolucionar, ouvindo à tudo,
pois achar que sabe de tudo não é glória alguma, é medíocridade.
Sem hipocresia, chorar quando sentir vontade e rir quando quiser rir,
mas não viver sempre da mesma maneira, porque o tédio é para quem quer.
De tudo somos um pouco, fazemos para cada vez nos sentirmos mais completos.
Ser um Dias é sonhar e viver, e também viver um sonho.


A. D.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

A Máscara dos Bons...( Politicamente Incorreto)..



Bem acho que nos últimos tempos estamos vivendo uma época do “Politicamente Correto” , do limpo, de normas(morais).... ............. ou será que dentro do politicamente vem embutidos os piores preconceitos ? as vezes tem de ser cruel para ser bom,.... O “Correto” talvez seja o verdadeiro preconceituoso. Isso acaba gerando uma crueldade cada vez mais sarcástica, e acaba sendo cada vez mais cruel...e é muitos dos que tem coragem de falar acabam ganhando fama de chato, marrento, cruel,
Talvez o mundo esteja vivendo uma grande lucianohuckização( o cara que é casado com a mulher maravilha, é um cara do bem, e que curti tudo ^^ ) .... Em que o mais legal é fofocar sobre o BBB, achando aquilo uma maravilha, e quando alguém da uma opinião falando mal é tido como escroto, arrogante,... é uma verdadeira fobia à opinião , ao invés de vivermos uma crítica construtiva parece que é mais legal viver fofocando... mesmo que fale o que pense, mesmo errando, e se equivocando, é ai que vai aprender, mas agora puxar o saco de todo mundo é se enquadrar nesse estética.
O politicamente correto enquadra tudo em uma estética, hipócrita... daí vem a velha pergunta, a você se arrependeu do que fez? Ainda tem uns que falam que não e que faria tudo igual, porra você nunca acordou de ressaca, com aquela dor de cabeça, talvez a função de se queimar seja para abrir essa possibilidade, e a gente vai errar,ou agindo ou falando..... mas pow, essa é uma das artes da vida, errar, ariscar, e aprender.... saber viver, e não ficar um maior bundão ai sem fazer nada dependendo de tudo

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Sem palavras...

“Você já se perguntou porque a ama tanto? O que ela tem?... “não sei. Acho que nunca vou saber. Acho que às vezes, você acerta de primeira, e isso define sua vida. Te transforma no que é” . “Ela é a pessoa que te escuta e ouve, aquela que te olha e pode olhar direto na sua alma, aquela que te faz acreditar em qualquer conto de fada que já lhe foi dito, as vezes ainda acredito que as pessoas querem acreditar, mas tem medo”. “A verdade é que eu não entendo muito de amor... todas as coisas que já aconteceram, brigas, besteiras, me fazem querer desistir das coisas ... mas poder observar como você é linda, seu jeitinho fofinho, e depois disso consigo perceber que é a coisa mais linda poder estar com você... sei que o amor é incondicional e também imprevisível, inesperado, incontrolável, incontido e as vezes não da para entender.... é, acho que talvez seja amor. Mas ainda continuo achando que o amor não se explica com palavras. Pelo menos ainda não consegui escrever nos textos que já fiz....."

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pega, Pega.....

È minhas filhas e filhos... a vida é repleta de surpresas, se você leitor, como já disse em um texto anterior “digo do sexo masculino, que ainda não degolaram o Baltinha lá de baixo, mais precisamente os que ainda pretendem usá-lo ( poupo aqui os religiosos que optaram em não usar, que Deus vos abençoe ), mas nada também contra os que viraram pro outro time, paz amiguinhos ^^” ... mas sim, como dizia, se você é mais um daqueles que fica aew se enchendo de enfeites, cordões..... e para você que ta aew se matando na academia, levantando 30 kg de cada lado do braço, ta mais inchado que pão molhado, venho lhe dar uma má notícia.... só lamento .....acho que a priori as mulheres querem uns kras bunitinhos, fortinhos, mas pow depois de um tempo o encantamento passa, se o kra n tiver uma conversa bakna, n for atencioso, n tiver dinheiro( se tiver, você já esta bem na foto ^^), e é claro tem de ter pegada. É meus filhos mulher adora uma chegada assim meio homem das caverrnas..
Bem, as suas esperanças se resumem em algumas palavras, tenha jeito, carinho, atenção e PEGADA.... pronto meu garoto eu não conheço nenhuma mulher que n goste, e não queira, até as evangélicas ^^ . Claro que existem mais coisas... mas isso não é a revista “tititi” ^^
O jeito é algo muito vago, você vai ter de aprender a se comedir, nada de ser um romântico 24 H, todo meloso, falando coisinhas tipo, “tatibitati” Xellu” nem dar uma de professor Girafalez levando um buquê todo dia, ou falando “vim lhe trazer esse humilde presente” .... criidooo, tenha dó... dê carinho comedidamente.... que bonita essa palavra ^^ ... Agora o mais legal, a Pegadaaaaaaa hahahahahahaha...
O lance é o seguinte, toda mulher gosta de uma pegada, várias, melhor dizendo ^^ ... a pegada tem de haver um equilíbrio entre romantismo e um “toque Neandertal”, mas calma não vá na hora de jogar ela na parede deixar ela se bater( falava isso pra uma menina que pedia para eu jogar ela na parede ^^ ) asiuhiushuiushiusa... mas voltando, mulher quer sentir um homem, aquela encaixada.. é claro que a mulher gosta de ser o alvo da sua atenção, e que as conversas, carícias e Beijos são essenciais... por hoje é isso pessoal, já to com sono.. cruj,cruj chau !

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Consciêcia

Preciso entender
Que meu coração pode bater mais feliz
Se estiver triste
Que o sonho de um amor eterno acaba quando descobrimos a vida

Quero acreditar
Que não preciso tornar flores
A saliva que escorrega da tua boca
Quando sorris com desdém
Quando cospes em meus instantes de alegria

Preciso entender
Que não preciso entender tua ironia
Quando te reportas a mim

Vai, procura tua vida
Onde quiseres encontrá-la
Onde quiseres feri-la
Onde quiseres espetá-la

Me deixa seguir os pensamentos
Me deixa contemplar as fotografias
Da vida que não tive
Do valor que não me deste

Me deixa chorar em qualquer canto dessa casa
Qualquer dor que sentir
Me deixa sofrer
Pra me curar dos planos que fiz
Dos erros que cometi
Do amor que te ofereci
Adeus...

Por Ingrid Miranda, uma minina muito especial para mim, que me mostrou esse texto do professor Ivanildo Rodrigues.

Ivanildo Rodrigues

terça-feira, 21 de junho de 2011

Dia De Chuva...

Proximos posts dedicados a uma espécie de ..... como falar.... cartas.. isso cartas... talvez esquecidas, mas algumas registradas..... não escritas por mim..

" Chove lá fora e eu aqui sinto falta de seus abraços.
Sei que não será por muito tempo,
Porque logo logo você vai chegar e me envolver
Em um milhão de abraços, dizer o quanto me ama
E sentiu minha falta
Sei também que sentes saudades
E estás ansioso para me ver
Me amar como sempre
Vamos Deixar a chuva lavar nossas Almas
E renovar nosso ser para o Amor

Eterno Amor B. e D. "

segunda-feira, 20 de junho de 2011

As Memórias boas ^^

Proximos posts dedicados a uma espécie de ..... como falar.... cartas.. isso cartas... talvez esquecidas, mas algumas registradas..... não escritas por mim... mas que estão guardadas para sempre na minha memória...

"Ain, como é chato aguentar a saudade e o pior é ficar bem longe, distante do amor de sua vida, não poder senti-lo, não poder abraçá-lo e esperar um feriado para poder conseguir vê-lo =/
É tão ruim porque não paro de pensar nele e tudo que faço me lembra ele, aumenta cada vez mais a saudade. Ruim que aqui no curisnho tem um menino que é a cara dele. Aff... já era isso pra acabar comigo..
Ain, eu o amo demais, demais, não sabe o quanto, quanto mais longe fico dele mais a vontade de de ficar junto dele aumenta. Quando a gente se encontra, raramente como smepre escondido =/, a saudade aumenta ainda mais e eu fico pensando sonhando no dia em que a gente vai poder ficar junto, assim para to mundo poder ver, e tals... mas um dia esse meu sonho via se realizar eu creio nisso, e a gente vai ser muito feliz...
Mas as vezes eu viajo muito, sonho demais aiuhasiuhasiu S2... meu fofinho e tão lindinhoo e engraçadinho, meu hot. meu hot dog kkkkk *-*
Ain como Eu Te Amo B........ o que foi que você fez comigo para eu te amar tanto assim? as vezes isso me assusta pois nunca fiquei assim por garoto nenhum e justamente com você é diferente.
Eu tudo nele, o jeitinho, o carinho que ele tem comigo, a atitude dele, por ele ser roqueirinho e fofinhoo, por ele ter uma carinha de doidinhuuu por ele ser o meu mais lindo príncipe


Eu te Amo B..... agora tenho certeza.. eternamente B. e D. "


terça-feira, 7 de junho de 2011

A Indolência social....

Ao longo da história das sociedades pode-se observar, que houve um grande caminho a ser traçado para se chegar ate o atual momento em que as sociedades conseguiram muitos dos seus direitos, enquanto mecanismos de proteção do homem em relação ao próprio estado, e em relação aos demais indivíduos, por como já enaltecia o Clássico livro de Ihering, “a Luta pelo Direito”, para se haver direitos tem de se haver a luta pelo Direito. Todavia a atual conjuntura da sociedade parece ter caído no comodismo, e os titulares de tais direitos, que parecem ter se acostumado com o não respeito aos muitos dos seus direitos, ou simplesmente deixou tudo nas mãos do Estado. A grande questão se depara com uma sociedade que vive uma razão indolente, com uma educação deficitária, e uma dependência das políticas assistencialistas do governo....
As causas da indolência por parte dos cidadãos são várias, podendo-se observar não somente me livros de sociologia, como o da cientista social Alba Zaluar, pois as marcas estão bem expostas na população, dentre elas podem-se citar, perda de perspectivas, desigualdades sociais, crise moral de valores, descrédito na política.A grande concentração de renda que assola a sociedade, resultado da má distribuição, parece aumentar ainda mais o abismo de direitos jurídicos e econômicos na sociedade, em que a justiça acaba se perdendo muitas vezes em um relativismo, em que o direito esta do lado não do justo, e sim dos que podem deter os direitos, e acaba sobrando uma meia cidadania para a maior parte da população, em que o privilégio do voto ainda é um direito, mas ainda é bastante negligente no acesso a saúde, educação, segurança lazer, com isso perdendo a característica da tal dignidade humana....
Em geral a sociedade vem confundido uma das suas principais conquistas, o Voto, e acaba em muito entregando a confiança dos seus direitos nas mãos de seus representantes, assim perdendo o valor de uma democracia, que se limita a um votar obrigatório, sendo que a democracia é muito mais que votar, pois tem princípios como justiça social e igualdade. Em que a população está sendo um produto do seu próprio comodismo e ignorância, dando assim vazão para que a política se apóie em um mercado de corrupção.Em muitas vezes, o estado enaltece o fortalecimento da economia, divulga, mostra dados, de um crescimento econômico, porém crescimento não implica em igualdade social, a riqueza esta sendo gerada, mas tem de haver uma distribuição.A atual cidadania vivida pela sociedade é muito frágil para conseguir uma efetividade de seus direitos, e mudanças. Tendo uma democracia em que a sociedade, por não participar, perde uma efetividade em seus direitos,como frisa a frase de Dennis Verbicaro “quem não conhece não participa. Quem não participa não muda. E quem não muda, perpetua a má gestão do poder”...
A sociedade parece ter perdido a sensibilidade e se entregado uma razão indolente, preguiçosa, e que reflete muitas vezes em inúmeros votos em branco, e justificativas de voto, deixando cada vez mais o seu futuro a mercê do que tiver de acontecer, e viver um dia de cada vez, e cada momento, mas sem se preocupar com o futuro, ou a espera de super heróis. Sendo as elites político- econômicas, que detém os direitos do país, que se fortalecem cada vez mais com a falta de informação e de exigibilidade de direitos por parte da sociedade, sendo o acesso a informação uma das principais armas contra apatia social. Com isso as ações por parte do estado são de omissão em relação ao acesso de informação, preferindo por muito esvaziar seus cofres em propagandas de para enaltecer partidos, e construírem uma máscara social de que tudo vai bem, que o crescimento econômico do país é igual a desenvolvimento humano. “muitos brasileiros nasceram, cresceram, se reproduziram, e morreram acreditando nessa esperança, esperança essa que minimizava os dissabores de uma longa espera.” Dennis Verbbicaro....
A sociedade não pode deixar de observar os fatos, e desperdiçar as experiências já vividas. Sair da razão indolente que só se acomoda, que ao invés de lutar por uma efetividade de seus direitos, se priva de direito de votar, perdendo cada vez mais efetividade no cenário político e de cidadão. Deixando cada vez mais de procurar as informações e alternativas. Perder a indolência talvez seja um dos principais pontos, para uma maior efetividade dos direitos de cidadania, com um novo cenário de justiça política-social.....
B. D.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Talvez ame somente a idéia de Amar....

Como ando meio sme tempo pra escrever, periodo de prova ^^, vou postar algo que escrevi a uns meses atrás e que iria guardar somente para mim, mas vou postar para não deixar esses dias em branco no blog. Evitar olhar algumas coisas escritas para evitar abstinências, as vezes isso resolve, mas não por muito .......................... O que você me diz é simplesmente que essa parte da sua vida foi superada. Que não me ama mais e, que eu acabei com a sua vida, que eu não vivia mais a minha, e que eu deveria começar a viver a minha... realmente você tinha razão, estou seguindo, talvez faltasse um pouco de “estequiometria” nessa relação..... Mas e quando não quero seguir sozinho? E se eu quiser voltar e fazer tudo de novo? Só que dessa vez sem cometer os mesmos erros, dessa vez fazer melhor, fazer certo dessa vez... você novamente diz que não me ama mais, e vira as costas, porra que babaca sou eu.. Diria que um dia nos amávamos demais, demais, e acho que demos o azar de fazer certo logo na primeira, porque isso trouxe muita pressão pra manter o ritmo... então nos ferramos.. admito que por algumas vezes cheguei a dormir no telefone com certeza a distância contribuía, e já nem queria tanto falar com você, ficar alguns dias sozinho, mas quando tudo se foi, alguma coisa me fazia falta, o seu cheiro , sua boca, suas palavras antes de dormir, aquelas “brincadeiras” nhaaaaaaaaaa, mesmo que fosse no cell tinham graça ^^ .... mas o pior de tudo é de quando eu “pude resolver” os problemas, e você realmente por um breve instante voltou a ser quem você era, e disse “Te Amo”, pedia para eu ser mais carinhoso com você, eu não sabia mais o que queria.... será se eu não queria ficar com você? Eu achava que queria.... mas fugi na hora... ou foi porque pensei, porra ela não pode fazer as duas coisas, mandar eu me ferrar e esquecê-la, e depois voltar a minha vida como bem quiser ... e desliguei a ligação entre nós. Acho que o que eu amo é a idéia de amor..... mas como não consigo tirar isso da cabeça?.. mas porque você ligou e ficou ligando e pediu para eu te ligar de madrugada não importando a hora e, na hora que ligo você diz que me ama? Você queria o que? Que eu continuasse ali, fazendo das minhas, de sempre, fosse de novo daqui para aí só pra te ver?.... fuck you.. mas isso não se trata só de mim.... nada era para ser assim, todas essas coisas que aconteceram não deveriam ter acontecido... aconteceram...... me desculpe por nunca ter dado um dia assim tão especial para você, não sei do que tinha tanto medo tão pessimista e quase nunca sem olhar para o que fazia, porque olho ao redor e vejo que é a coisa mais linda que já vi... Tudo passou tão rápido, do momento que te conheci até agora, parece que foi a um segundo.......

B. D.

terça-feira, 31 de maio de 2011

uma Resposta para o Balta...

Eu já vivi mais de 40 anos. Conheço embaraços, micos, sorrisos, trejeitos. Mas ainda desconheço. Tenho mais de 20 anos, mas já nasci velha. Não existem soluções plásticas quando a idade é uma marca dentro de nós.
Tantos permanecem agitados por dias após uma balada. Outros tantos permanecem cativos após uma grotesca negação de amor. Muitos outros, dementes após um beijo roubado. E o vazio, aqui do lado, é a maior parte do que sou, na indiferença.
Minha alma – se é que eu acredito mesmo nisso! – tem sono, pede cama, fuga para um refúgio que não tem tempo de surgir e me fazer sumir. Importo-me mais com os interesses na minha responsabilidade: Quase nunca chego atrasada ao trabalho. E importo-me menos com aquilo que poderia me fazer gargalhar de gozo. Sinceramente, eu sobrevivo!
Acho que a maturidade tem muito disso. Ser adulto é ser tedioso; é encarar o nada; beijar o ácido e ainda ter que sorrir aos clientes diversos que aparecem nos dias (in) úteis em que temos que servir para alguma coisa. Numa transição, surgem perguntas sem respostas exatas e constantemente assistimo-nos com os braços envoltos numa frágil coluna enquanto o resto de nosso corpo, estendido horizontalmente, como morto, balança, quase solto, em direção ao que tememos e tentamos negar.
Contudo, mais cedo ou mais tarde, chegamos àqueles 40 anos. Estamos quase lá. E já sentimos às vezes o gosto do desespero, resquício ainda dos Dramas que protagonizamos há um tempo. Mas o que predomina em mim agora é o trágico do não se importar. Se me negam o amor, durmo bem do mesmo jeito. Se me roubam um beijo, bocejo. Se quero sorrir, espero. Se pareço viver, desespero. Parece mesmo que todo o suposto equilíbrio da maturidade está na indiferença, o porquê da sobre ou subvivência que, não sei por que, nos faz mais respeitados.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Síndrome Do Perter Pan?

Muitas pessoas já chegaram e falaram pra mim que eu não crescia, que era imaturo.. ate que teve uma que me disse que eu era como o Peter pan (^^)forever young..... e ficava me perguntando o que é ser maturo? O que é envelhecer? . Será que eu tenho de mudar o jeito que me comporto?. E o lance mais curioso é, que quando se chega a uma outra camada etária existe uma cobrança ainda maior de “chegar” a tal maturidade... Se o que se espera da maturidade é que se mudem os meus comportamentos, os livros que eu gosto de ler, ou os filmes que gosto de assistir, se essas coisas forem os quesitos para me tornar um adulto... isso não vai acontecer..... Sabe esse lance da juvenil idade imposta ou uma velhice imposta, acaba sufocando e castrando muitos ideários, ou será que todas as gerações tem de se adaptar a um sistema de “maturidade”? Mao Tse-Tung e Fidel Castro tinham uma Idéia de revolução e quando chegaram ao poder parece que perderam toda aquela idéia de igualdade. Não da também para romper tudo e ser tão radical e ser individualista.... Na verdade me encontro e me perco em idéias de ideais que me jogam como a um mar joga um navio de um lado para o outro. A maturidade deve ser uma espécie de bussola que me mantém no caminho do lugar onde quero chegar, e sempre me lembrar de onde eu vim, mesmo que ainda nem saiba que lugar é esse.......


B. D.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

A, B.. D e F...

É engraçado como a gente fica às vezes, briga, fica mal um com o outro, e o pior de tudo perdemos tempo com essas coisinhas que simplesmente não tem sentido, as vezes por orgulho, por medo dos próprios sentimentos..... Não importa o tempo faz eu te amar cada vez mais, mesmo quando você às vezes se esquece de mim, é assim de um jeito ou de outro, alguma coisinha, um sorriso, uma curva, um segredo, você é mesmo uma mulher incrível, que por muito esteve ao meu lado, mesmo assim sem perceber, muitas vezes acabei te machucando. É pena que as vezes demoramos demais para perceber, mesmo com um monte de pessoas nos falando, mas realmente o segredo só está dentro de nós, e algumas vezes quando acordamos acabamos perdendo muitas coisas especiais. E mais estranho ainda é quando temos a oportunidade de consertar tudo e simplesmente temos medo... Ou pelo tempo das coisas, pelas besteiras, pelo meu super ego, ou pelo que fizemos um ao outro... não vá se auto-destruir por um fundamento sem fundamento, que sempre acaba em doutrinas que te materializam.....se conheça, saiba quem você é primeiro.....ou você prefere fugir e se enganar?......“só vou falar uma vez. Quero que escute certo? Não importa o que fez, não desista. Não desista.....porque se ela te ama, vai ........... Você precisa acreditar, senão, não há sentido. Não existe vida sem amor. Nenhuma que valha, pelo menos.........”

B. D.

Fotógrafos...

Para muitos a vida passa como um flash.
Um piscar de olhos em meio a uma paisagem bonita.
Um piscar de olhos e nada está como estava...
Outros tentam eternizar aquele momento.
A ilusão da fotografia que faz lembrar aquele dia.
Mas não é mais como aquele dia.
Pessoas que vivem presas a um passado, a um momento.
Ou então esperando uma revelação.
Algumas ocupadas demais tirando fotogafias de sí mesmas, no espelho.
Procurando o melhor ângulo, a melhor forma.
Qual o sentido de viver preso aquilo?
É preciso uma prova de que aquilo aconteceu com você?
Chegamos em um ponto que não acreditamos nem em nós mesmos...
Se for importante realmente, a imagem nunca sairá de nossas cabeças.
Não importa, até mesmo que contra nossa vontade ela estará lá...
Boas ou até mesmo más, lembranças vivas na memória.
Mas embora não se pode mudar o passado,
mudamos constantemente a maneira como o interpretamos.
Lembranças, boas ou más, são só lembranças...
O albúm nunca deve parar, a memória nunca se está cheia.
Novas revelações estão por vir, depende só do fotógrafo.


A. C.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Nãoooo...


Hoje acordei pensando em umas coisinhas, por favor não pensem besteira, algo que vem me intrigando a algum tempo. É notória a....., melhor dizendo mutação dos conceitos, é notório no ser humano, sempre rever seus conceitos, e isso totalmente natural que as pessoas mudem. Hoje em dia isso é bastante normal para as minininhas, que saem por aew cantandooo " eu vou te esperaaaarrrr aonde quer que eu váaaaaa..." ausihasiuashu... pronto parei....mas pasmem, isso atingiu a esfera masculina também. Realmente não sei o que deu, talvez Nostradamus não consegui prever uma evolução, prefiro dizer um retrocesso, eu gostaria de conhecer o pai de um desses. A seguir postarei imagens de exemplos da realidade de antigamente, do que era um homem:..

(uiiiiiii ^^ )


vejam agora no que caíram as coisas:



















(ashasuiashasihashui.. desculpem )

É minhas filhas e filhos, vejam para que rumo as coisas estão se tomando. Não sei se as coisas se tornaram e/ou vieram piorando a partir do surgimento do grande ídolo teen Edward Topete Cullen( tenho inveja do topete dele) que simplesmente tirou nada mais nada menos que johnny Depp do ícone de galã. Sejão corajosos meus filhos, estes são os sinais dos fins dos tempos. Olhem os sinais, a grande variedade de cores nas calças, óculos.... as franjinhas penteadas sobre a testa, muito delas com um leve toque de chapinha, pois Deus não foi tão generoso com todo mundo kkkkkkk... além das fotos em que os mininos aparecem fazendo um verdadeiro exercício facial entortando a boca e fazendo biquinhus, sem contar os óculos wayfarer, e os cordões, os cordões... ah já ia me esquecendo eles não esquecem de deixar nenhum fiozinho de cabelo fora de sintonia, arrancam ate os pelinhos do peito, os pobres. Eles devem andar com uma pinça dentro do bolso, a academia também é fundamental, se você não tiver aquela barriguinha tanquinho para você ser como o Jacob, o Rival do vampiro do crepúsculo, ai fica ruim, tem de ser tilindooo ><... ah e Se você que esta lendo e está pensando " nossa mais eu amo esses mininos", é minha filha então só lamento..... Ufaa, acabei mas acho que ainda me esqueci de muita coisa, mas já esta bom eu tenho que estudar, porque me dei mal na prova de direito civil ^^....

B. D.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Ei.....

Bem, acho que em um dos posts anteriores eu havia mencionado que já me sentia bem, é mas esse bem não foi bem assim, acho que estava querendo me enganar, assim como vinha fazendo a um bom tempo, e acho que não tem coisa pior que enganar a si próprio....... Sabe aqueles dias em que você se sente uma puta velha?..... é estive assim, e as vezes tem um ponto do caminho que realmente tem um retrocesso, mas é assim mesmo, essas coisas acontecem, e não adianta ficar aqui ligando pra Deus e o mundo, falando de sua dor. Ate que é legal sofrer em voz alta, escutar poucas palavras,mas pouxaaaa pare com esse papo, você tem de se recompor .... não vai adiantar ficar ai sentado falando que tudo que você fez foi errado, também não vai adiantar muito pedir por algo que não pode mudar, nada como se olhar no espelho e ver no trapo em que voce esta se tornando....coloque um ponto que segue, uma virgula, e pare de fugir...... e não espere chegar em um momento de nirvana, para dizer que você esta bem, faça da sua vida o nirvana aqui e agora....... não como fiz me escondendo, pedindo opinião do que iria fazer, de como deveria agir, po##a, faça , pare de fugir esta é sua dor, não se mande para outro lugar......pare de ter medo, e saiba que um dia você vai morrer... sinta-se excitado por ter feito, e não pelo que os outros fizeram o que você poderia estar fazendo ou ter feito. Do que você está fugindo?....

B. D.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Apenas....

Quando lhe peço que me ouça e você começa a dar conselhos, você não faz o que eu lhe pedi.
Quando lhe peço que me ouça e você começa a me dizer que eu não deveria me sentir desse jeito, você está passando por cima dos meus sentimentos.
Quando lhe peço que me ouça e você sente que deve fazer algo para resolver meus problemas, você falhou comigo, por estranho que possa parecer.
Ouça! Tudo que peço é que você me ouça.
Não que fale nem faça nada... só me escute.
Conselhos são baratos: existem muitos conselheiros de plantão e líderes religiosos, até em jornais.
E posso consegui-los sozinho.
Não sou impotente.
Talvez acanhado e hesitante, mas não impotente.
Quando você faz algo por mim que eu precise e possa fazer sozinho, você contribui para o meu medo e imperfeição.
Mas, quando você aceita o simples fato de que eu realmente sinto o que eu sinto,
mesmo que pareça irracional, então eu posso parar de tentar convencê-lo
e posso me ocupar com a compreensão do que está por trás desse sentimento irracional.
E quando isso fica claro, as respostas são óbvias e eu não preciso de conselhos.
Sentimentos irracionais fazem sentido quando entendemos o que está por trás deles.
Talvez seja por isso que preces funcionam, algumas vezes, para algumas pessoas.
Porque Deus é mudo e não dá conselhos ou tenta consertar as coisas.
Deus apenas escuta e confia em você para resolvê-las por si próprio.
Então, por favor, me ouça e apenas me escute.
E, se você quiser falar, espere um pouco pela sua vez.
E eu ouvirei você.

Autor(quero saber)

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Do Coração

É indiscutível o quanto somos atraídos por aquilo que podemos ver, ainda mais se a imagem que o seu olhar alcançar, por mais que para muitos não pareça tão bela, " pois para a visão o que parece é". Mas não vim aqui para falar amor a primeira vista, se não estaria negando todo o resto, e dando cada vez mais força ao fato, de que crer e gostar são virtudes somente daquilo que que posso ver e tocar, é como se eu pudesse esquecer de TODO o resto, o jeitinho de você colocar o seu rosto no meu peito, o cheirinho sempre bom, por mais que algumas vezes fossem só do seu shampoo, do jeito como nossos lábios se somam, dos olhares que simplesmente podiam penetrar no mais profundo, e te fazer acreditar que podiamos ser capazes....... por mais que tais coisas não façam mais parte do presente atual,ou estamos nessa loucura e na fraqueza e de enganarmos a nós mesmos e aos nossos sentidos, tudo está se tornando memória, não quero dizer que fadadas a cair no buraco negro do esquecimento.....pois memórias assim se tornaram eternas, por mais que o sentido da visão não possa te ver, e te tocar, as memórias caem no vazio, da imensidão, navegando da dimensão do infinito rumo ao ........... se transformando talvez em amor, que fecunda a mente , e que me impulsa a escrever estas palavras............

B. D.